Indústria têxtil espera crescer até 2% em 2013

Indústria têxtil espera crescer até 2% em 2013

A Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil) prevê um crescimento de até 2% na produção do setor têxtil e de confecções neste ano. A entidade considera também a possibilidade de o desempenho ficar estagnado, com variação nula na comparação com 2012.

Para o varejo de vestuário, a Abit projeta expansão de 4% em 2013, em volume. De janeiro a novembro do ano passado, houve queda de 4,6% na produção do segmento têxtil e retração de 10,5% no de vestuário. O varejo de moda avançou 3,4%, com aumento de 19,6% nas importações no segmento.

O presidente da entidade, Aguinaldo Diniz Filho, projeta um ano de 2013 melhor do que o de 2012, diante da expectativa de o crescimento do PIB ser maior. Além disso, afirma Diniz, medidas tomadas em 2012 como desoneração da folha, redução do custo da energia, fim da guerra dos portos e queda na taxa de juros devem amadurecer e afetar positivamente o setor. A lenta recuperação dos mercados desenvolvidos diante da crise, destaca Diniz, é um fator de preocupação.

"A busca de mercados alternativos como forma de escoar o excedente produtivo dos nossos principais concorrentes internacionais às vezes ocorre de forma predatória", diz, referindo-se à invasão dos produtos chineses. Medido em dólares, o faturamento do setor têxtil e de confecções, de acordo com a Abit, deverá encolher de US$ 56,7 bilhões para US$ 53 bilhões neste ano. A queda reflete o efeito do câmbio e também o não repasse de aumento de custos para os preços, afirma Diniz.

About the Author

.